sábado, 7 de agosto de 2010

O mesmo



Língua brasileira 7

Tanto quanto o gerundismo, o uso do "mesmo" é uma praga. A título de mera curiosidade, veja-se alguns exemplos:

- Recado da professora: "Por favor, avisem os alunos que o texto já está disponível no xerox. Todos devem levar o mesmo para a aula de amanhã"

Perguta-se: quem é o mesmo? O xerox ou o texto? É claro que é o texto, mas....

- Uma sentença judicial: "o processo versa sobre acidente ocorrido na rodovia, nas proximidades deste município, tendo o mesmo ocorrido por ter o acusado perdido o controle do veículo em razão do cansaço apresentado pelo mesmo"

Que tristeza! E o nobre redator do texto é Juiz!

- O técnico da eletrônica: "A televisão está quebrada. A mesma precisa ser trocada ou consertada".

Não sei como o "mesmo" ganhou tanta notoriedade. Mas imagino que algo simples tenha contribuído para sua divulgação: a Lei nº 9.502/97. O texto dela é bastante conhecido: "Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo encontra-se parado no andar".

Por constar de lei, o texto deve ter levado os usuários de elevador (o mesmo) a acreditar que sua redação corresponde à forma culta da língua portuguesa. Ou seja, o texto de lei, criado por algum incauto, serviu para legitimar mais uma moda da nossa "inculta e bela".

Nem tudo está perdido, entretanto. Há algum tempo, uma aluna, cansada de me ouvir reclamar do "mesmo", me mandou um e-mail com uma foto de um elevador. O título do e-mail era "Viva la Revolución!". De fato, trata-se de uma revolução.

Apreciem a foto!

2 comentários:

Leca disse...

Eu morro de medo...
desse "o mesmo"...
onde moro...
coloquei o "o mesmo"...
entre...parênteses...
no elevedor...
no corredor...
ele parece uma entidade...
eu morro de medo...desse...o mesmo

Beijos
Leca

Antonio Ozaí da Silva disse...

Roberto,

obrigado.
É sempre instrutivo e divertido ler o seu blog. Acompanho o MESMO com prazer... rsrs

abraços e bom final de semana,