segunda-feira, 6 de junho de 2011

Enfim, ao acordo ortográfico

“....nem uma mulher em chamas cede um beijo assim de antemão.
Há sempre um tempo, um batimento, um clima que a seduz”.
Lábia – Chico Buarque e Edu Lobo.

Jurei que até o último momento resistiria bravamente às imposições do acordo ortográfico, assinado pelo Luiz Inácio em 2009. No post “Acordo ortográfico, ainda”, publicado aqui em 23/06/2009, mencionei algumas impressões negativas e alguns problemas que supunha haver nas alterações feitas na “última flor do Lácio”.

Logo mais, completará dois anos que fiz a promessa. Até que resisti bem. Agora, entretanto, faltando pouco mais de seis meses para acabar o prazo determinado, decidi romper o prometido. Minha decisão defluiu de algo simples: como tudo exige um pouco de cautela, antecipação e preparo, entendo que seria melhor usar o segundo semestre para, por exemplo, acostumar-me à terrível ideia de escrever ideia sem acento ou escrever contrassenso sem hífen. Preciso iniciar aquela fiscalização básica que deve acontecer toda vez que logramos mudar de hábitos. Será difícil, mas, ainda contrariado, preciso tentar.

Geleia, assembleia, ideia, joia, heroico, feiura, coautor, corréu, benquerido, contrarrazões.... Espero chegar lá.

Como diz a música do Chico e do Edu, deve haver “sempre um tempo, um batimento”. O meu só começou agora....

Um comentário:

Joana d'Arc disse...

Então meu lapisimpreciso, já está seduzido pela novo acordo ortográfico???

Não demorou nadica de nada...hemmmmmmmmm
kkkkkkkkkkkkkkkk
beijinhos de Jô